ÍDOLOS COM A LETRA "R"

CLIQUE NO SEU ÍDOLO PARA SABER SOBRE ELE




CRAQUE - RINALDO
POSIÇÃO - PONTA-ESQUERDA
NOME - RINALDO LUÍS DIAS AMORIM
DATA DE NASCIMENTO - 19/02/41
LOCAL - JUREMA (PE)
HISTÓRICO - Assim como Aldemar e Zequinha, brilhou no Santa Cruz-PE. Mas, ao contrário dos dois conterrâneos, já estava no Náutico-PE quando foi contratado pelo Palmeiras, clube ao qual chegou no meio dos anos 60 para fazer parte da chamada "Primeira Academia".
PRINCIPAIS TÍTULOS - Rio-São Paulo (65), Paulista (66), Robertão (67) e Taça Brasil (67)

ÍNDICE




CRAQUE - RINCÓN
POSIÇÃO - MEIA
NOME - FREDDY EUSEBIO RINCÓN VALENCIA
DATA DE NASCIMENTO - 14/08/66
LOCAL - BUONAVENTURA (COLÔMBIA)
HISTÓRICO - Rincón teve duas rápidas passagens pelo Palmeiras. A primeira em 1994, ainda como atacante, quando ajudou o time a ganhar o Campeonato Paulista. Menos de seis meses após ter chegado, foi negociado com o Real Madri espanhol. Logo depois da Copa do Mundo. Voltou em 1997, então já como meia, mas não teve o mesmo brilho.
PRINCIPAL TÍTULO - Paulista (94)

ÍNDICE




CRAQUE - RIVALDO
POSIÇÃO - ATACANTE
NOME - RIVALDO VÍTOR BORBA FERREIRA
DATA DE NASCIMENTO - 19/04/72
LOCAL - RECIFE (PE)
HISTÓRICO - Não é fácil chegar ao Palmeiras e dar certo. Não se o seu clube anterior tiver sido o Corinthians. A torcida desconfia, torce o nariz, parece sempre estar mais atenta a um erro, só para poder gritar: "Fora, corintiano!". Mas Rivaldo suportou tudo isso, aos poucos foi conquistando a confiança da galera verde e se transformou num de seus principais ídolos de todos os tempos. Este grandalhão de jeito desengonçado surgiu no futebol pernambucano, despontou no Mogi Mirim mas antes de se transferir para a Europa brilhou muito no Palmeiras, onde jogou de 1994 a 1996. Seu ápice no clube foi o gol do título brasileiro de 1994, justamente sobre o Corinthians. Em 1999, já atuando no Barcelona espanhol, foi eleito o melhor jogador do mundo.
PRINCIPAIS TÍTULOS - Brasileiro (94) e Paulista (96).

ÍNDICE




CRAQUE - ROBERTO CARLOS
POSIÇÃO - LATERAL-ESQUERDO
NOME - ROBERTO CARLOS DA SILVA
DATA DE NASCIMENTO - 10/04/73
LOCAL - GARÇA (SP)
HISTÓRICO - Chegou ao Verdão vindo do União São João, em 1993, como um jogador de futuro, mas que ainda tinha muito a provar. E provou: nos dois anos em que permaneceu no Parque Antártica, ajudou o time a ganhar vários títulos e plantou seu lugar na Seleção Brasileira, à qual chegaria pouco depois. Tinha um fortíssimo chute de esquerda e era preciso tanto na marcação quanto no apoio, qualidades indispensáveis a um grande lateral-esquerdo.
PRINCIPAIS TÍTULOS - Paulista (93 e 94), Brasileiro (93 e 94), Rio-São Paulo (93)

ÍNDICE




CRAQUE - RONALDO
POSIÇÃO - ATACANTE
NOME - RONALDO GONÇALVES DRUMOND
DATA DE NASCIMENTO - 02/08/46
LOCAL - BELO HORIZONTE (MG)
HISTÓRICO - Fez o gol do título paulista de 1974, deixando o Corinthians mais um ano na fila. Ter calado o Morumbi com mais de 110 mil corintianos já basta para este atacante, que defendeu o Verdão entre 1972 e 1975, estar entre os mais importantes da história do clube.
PRINCIPAIS TÍTULOS - Brasileiro (72 e 73), Paulista (72 e 74)

ÍNDICE




CRAQUE - RODRIGUES TATU
POSIÇÃO - PONTA-ESQUERDA
NOME - FRANCISCO RODRIGUES
DATA DE NASCIMENTO - 27/06/25
LOCAL - RIO DE JANEIRO (RJ)
HISTÓRICO - Uma patada impressionante com a perna esquerda. Esta foi a principal qualidade de Rodrigues Tatu, que desfilou seu talento no Verdão de 1949 a 1955 e que até hoje é considerado o maior ponta-esquerda da história alviverde. Fez parte do time brasileiro que em 1950 perdeu a Copa do Mundo para o Uruguai, mas se redimiu no ano seguinte, ajudando o Palmeiras a ganhar o Mundial Interclubes no mesmo Maracanã.
PRINCIPAIS TÍTULOS - Paulista (50), Rio-São Paulo (51) e Mundial (51)

ÍNDICE




CRAQUE - ROMEIRO
POSIÇÃO - PONTA-ESQUERDA
NOME - JOSÉ ROMEIRO CARDOSO
DATA DE NASCIMENTO - 03/03/33
LOCAL - MARQUÊS DE VALENÇA (RJ)
HISTÓRICO - Ele foi um dos jogadores que mais sucesso alcançou em toda a história do Palmeiras. Romeiro tinha como principal característica as cobranças de faltas e entrou para o rol dos inesquecíveis do Verdão justamente ao fazer o gol que deixou o Santos de Pelé apenas com o título de vice-campeão paulista de 1959. Romeiro foi um dos "supercampeões".
PRINCIPAIS TÍTULOS - Paulista (59) e Taça Brasil (60)

ÍNDICE




CRAQUE - ROMEU PELICCIARI
POSIÇÃO - ATACANTE
NOME - ROMEU PELICCIARI
DATA DE NASCIMENTO - 26/03/11
LOCAL - SÃO PAULO (SP)
HISTÓRICO - Ele foi um gênio da bola, dono de jogadas espetaculares e faro de gol ímpar nas duas passagens que teve pelo Parque Antártica, entre 1930 e 1935 e também, já em fim de carreira, em 1947. Por isso, e também pelo tricampeonato paulista que ajudou a ganhar, Romeu Pelicciari - que carregava o apelido de "Bororó", devido a seu estilo trombador, semelhante ao do atacante corintiano dos anos 20 - já mereceria um lugar nesta galeria de heróis. Mas houve um detalhe, um pequeno porém expressivo detalhe, que o deixará para sempre ligado à história do Verdão: na maior goleada do time sobre o Corinthians (8 a 0, em 05/11/33, aliás também a maior derrota do rival em toda a sua história), ele fez nada menos do que quatro gols. Até hoje, nenhum jogador repetiu tal feito numa só partida entre ambos os clubes. Romeu Pelicciari jogou também no Fluminense (RJ) e após encerrar sua carreira tornou-se dono de um famoso restaurante italiano em São Paulo
PRINCIPAIS TÍTULOS - Paulista (32, 33 e 34)

ÍNDICE




CRAQUE - ROSEMIRO
POSIÇÃO - LATERAL-DIREITO
NOME - ROSEMIRO CORREIA DE SOUZA
DATA DE NASCIMENTO - 22/02/54
LOCAL - BELÉM (PA)
HISTÓRICO - Ele foi chamado de "Namoradinho da Rachel Welch". Na verdade, uma maliciosa brincadeira, já que entrou para a história do futebol brasileiro também pela sua feiúra. Mas Rosemiro, que chegou ao Palmeiras vindo do Remo, em 1976, logo após o Paulistão, e deixou o clube em 1978, vendido ao Vasco, foi um lateral-direito ofensivo, que apoiou mais e muito melhor do que marcou. Daí muitos gols que o time sofreu terem acontecido em suas costas. Apesar de muito criticado pela torcida, que invariavelmente o escolhia como culpado pelas derrotas, disputou as Olimpíadas de Montreal pela Seleção Brasileira, e no total vestiu a camisa amarela em 27 partidas.

ÍNDICE




CRAQUE - ROQUE JÚNIOR
POSIÇÃO - ZAGUEIRO
NOME - JOSÉ VÍTOR ROQUE JÚNIOR
DATA DE NASCIMENTO - 31/09/76
LOCAL - SANTA RITA DO SAPUCAÍ (SP)
HISTÓRICO - Este zagueiro revelado pelo São José e contratado em 1995 é dono de tanta habilidade que chegou, muitas vezes, a ser escalado como volante. Mas foi na zaga que ganhou a confiança e o respeito da torcida, que apoiou a decisão de Luiz Felipe Scolari em escalá-lo no lugar de Cléber na reta de chegada da Libertadores de 99. Tem, porém, dois graves problemas: contunde-se com muita facilidade e quase sempre com gravidade e, muitas vezes, se acha melhor do que realmente é. Deixou o clube em julho de 2000.
PRINCIPAIS TÍTULOS - Paulista (96), Copa do Brasil (98), Mercosul (98), Libertadores (99), Rio-São Paulo (2000)

ÍNDICE




CRAQUE – RICHARD
POSIÇÃO – CENTROAVANTE
NOME – RICHARD PETROCELLI
DATA DE NASCIMENTO – 25/05/31
LOCAL – SÃO JOSÉ DO RIO PARDO (SP)
HISTÓRICO – Atacante rompedor, habilidoso e de chute certeiro, Richard era o caçula do time campeão da Copa Rio em 1951. Aliás, foi justamente durante aquele torneio que o centroavante sofreu a primeira as duas fraturas que, muito precocemente, o obrigou a encerra a sua carreira, com apenas 22 anos. 
PRINCIPAIS TÍTULOS – Paulista (50), Rio-São Paulo (51) e Copa Rio (51)

ÍNDICE




CRAQUE – ROCHA
POSIÇÃO – VOLANTE
NOME – JORGE LUÍS ROCHA DE PAULA
DATA DE NASCIMENTO – 28/10/1958
LOCAL – RIO DE JANEIRO (RJ)
HISTÓRICO – Era muito bom na marcação, mas pecava demais nos passes e lançamentos. Porém, devido à garra que demonstrava em campo, foi um dos ídolos da torcida palmeiras entre 1982 e 1985. Morreu muito jovem, com apenas 36 anos, de leucemia.

ÍNDICE




CRAQUE – ROGÉRIO
POSIÇÃO – VOLANTE/LATERAL-DIREIT0
NOME – ROGÉRIO FIDÉLIS RÉGIS
DATA DE NASCIMENTO – 28/02/1976
LOCAL – CAMPINAS (SP)
HISTÓRICO – Ótimo na marcação tanto quando joga no meio-campo como quando atua na lateral, Rogério é também um bom cobrador de faltas e exímio batedor de pênaltis. Mesmo sem ter grande habilidade, foi titular do time com diversos treinadores. Lamentavelmente, deixou o Parque Antártica após uma grande batalha jurídica com a diretoria, o que manchou sua vitoriosa passagem pelo clube. No Verdão, disputou 252 partidas e marcou 19 gols.
PRINCIPAIS TÍTULOS – Paulista (96), Copa do Brasil (98), Copa Mercosul (98), Libertadores (99) e Rio-São Paulo (2000)

ÍNDICE