A MÍSTICA DE PRASS E O FATOR BORJA (18/05/2018)
 


Ao redor do gramado, o clima de desconfiança era público e notório.

A torcida se dividia entre aqueles que pediam a saída do "Técnico" e não apresentavam alternativa - serve qualquer um (patético) - e os que resolviam apoiar, porque o planejamento ficaria prejudicado, um sinal de que os anos passados eram a clara lembrança do quanto os caminhos alviverdes foram resolvidos por instinto.

A bola queimava nos pés palestrinos e o adversário trocava passes esperando a hora do golpe de misericórdia.

Foi assim que o destino começou a se manifestar.

Primeiro "Prass". E foi do jeito que ele queria que a torcida lembrasse dele.

No pênalti inexistente - é bom que se diga - assim que o jogador colombiano partiu para a bola, nós tínhamos certeza de que o nosso goleiro faria a defesa e ajudaria a "Sociedade" a sacramentar a melhor campanha da Copa Libertadores de 2018".

Porém, a "Sociedade" superou seus obstáculos somente às custas das luvas mágicas de "Fernando"? Não.

Além de uma considerável intensidade, a partir da etapa complementar e ferido nos brios, o time alviverde teve um toque de "Borja" como nunca teve nesses últimos "17" meses.

Aliás, desde já deixamos claro que o "atacante colombiano" não é, nunca foi e jamais será um craque do tipo "Evair - embora este também tenha sido vaiado pela exigente torcida -". Ele é, contudo, um genuíno artilheiro e visitou as redes colombianas por "3" vezes - pela primeira vez com a camisa palmeirense -. Seria saudável aos ranzinzas deixarem de frescura e interpretá-lo corretamente, cobrando-lhe, sim, pelo que sabe melhor.

Foi, enfim, uma vitória daquelas de colocar a casa em ordem? Não. Mas o time provou que está vivo e merece respeito, inclusive do torcedor.

Assim sendo, enquanto o elenco procura seu ponto de equilíbrio, nós aguardamos ansiosamente por encontrá-los novamente - e Deus sabe o quanto -.



***

O escritor e colunista Catedral de Luz nasceu na turbulenta década de 60 e adquiriu valores entre as décadas de 70 e 80 que muito marcaram sua personalidade, tais como Palmeiras, Beatles, Letras, Espiritismo e História... Amizades... Esposa e Filha.

Os anos 90 ensinaram-lhe os atalhos, restando ao novo século a retomada da lira poesia perdidas.

comments powered by Disqus
acesso rápido
 
 
 
 
 
 

Palmeiras Todo Dia - O Site Oficial do Torcedor Palmeirense!